'A polícia não é formada apenas por santos, mas é a instituição

'A polícia não é formada apenas por santos, mas é a instituição

O coronel da Polícia Militar Luís Cláudio Laviano, de 49 anos, tomou posse na tarde desta quarta-feira (14) como comandante geral da Policia Militar do Rio de Janeiro. Em seu discurso de posse, o

Leia tudo

O coronel da Polícia Militar Luís Cláudio Laviano, de 49 anos, tomou posse na tarde desta quarta-feira (14) como comandante geral da Policia Militar do Rio de Janeiro. Em seu discurso de posse, o coronel afirmou que os policiais não são culpados pelo aumento da violência apesar de possíveis desvios na tropa.

"Serão dias de muito trabalho. Problemas têm dono. Policial honre a sua farda, levante a cabeça. A Polícia Militar não é formada apenas por santos, mas é a instituição que está na linha de frente. Juntos, venceremos", afirmou o coronel.

Na manhã desta quarta, uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público prendeu quatro policiais militares envolvidos com uma milícia na Baixada Fluminense. Eles são apontados na investigação como integrantes de uma milícia instalada na cidade de Mesquita. Outros cinco suspeitos também foram presos e dois estão foragidos.

Também nesta quarta, reportagem publicada pelo G1 mostrou que 2 milhões de pessoas vivem em áreas sob influência de milícias na Região Metropolitana.

Mapa: Veja as áreas sob influência das milícias no RJ
Comandante fala do envolvimento de PMs com milícias
Sobre o envolvimento de policiais militares em grupos criminosos como as milícias, o coronel Laviano disse que é preciso trabalho integrado com outras entidades responsáveis pela segurança pública no estado.

"Eu avalio que esta é uma questão de integração. Temos que trabalhar de forma integrada com o Ministério Público, a Polícia Civil, investigando... Onde existe um espaço, alguém vai ocupar esse espaço. Os milicianos atuam aonde? Onde existe um vácuo de poder, onde existe um espaço. Um espaço do município, do estado. Essas pessoas exploram esse espaço, e essas pessoas não podem conviver aqui dentro", acrescentou o comandante.

Laviano já tinha sido apresentado na semana passada à imprensa junto com o novo chefe da Polícia Civil, Rivaldo Barbosa. Na ocasião, o coronel afirmou sobre a necessidade de preservar as vidas do "policial, cidadão e do agressor".

Em sua despedida, o coronel Wolney Dias lembrou as conquistas durante sua gestão e fez questão de frisar que um acordo assinado este mês dará 250 carros novos para a corporação em abril.

"Entrego o cargo com a esperança de que daqui pra frente a turbulência seja menor. Conclamo a população para que não aceite a informação simplificada de que a solução está em um policial em cada esquina. Somos vítimas. Não somos culpados", afirmou.

O secretário de Segurança Pública, general Richard Nunes voltou a falar de crise ética no país assim como fez no discurso desta terça-feira (13) na posse do chefe da Polícia Civil, delegado Rivaldo Barbosa.

"O país não suporta mais o desrespeito às instituições. Ética profissional-militar impõe respeito à hierarquia e disciplina. É respeitando a sociedade que seremos respeitados", disse o secretário.