Polícia Investiga Helicóptero que jogou pétalas de rosa em enterro de Traficante

Polícia Investiga Helicóptero que jogou pétalas de rosa em enterro de Traficante

A Polícia Civil do Rio está investigando quem pagou o voo de helicóptero que fez uma homenagem durante o enterro de um traficante no Cemitério do Caju, Zona Portuária, nesta terça-feira

Leia tudo

A Polícia Civil do Rio está investigando quem pagou o voo de helicóptero que fez uma homenagem durante o enterro de um traficante no Cemitério do Caju, Zona Portuária, nesta terça-feira (12).

Durante o sobrevoo, o helicóptero lançou pétalas de rosas na hora em que o corpo de Natã Isaque de Souza Santos, um dos seis traficantes encontrados mortos na encosta do Leme e a Urca, era enterrado.

Segundo a polícia, o helicóptero, prefixo PR-RGC, da empresa 2A Manutenção de Aeronaves Ltda decolou do aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Ainda segundo a investigação, o homem que contratou o voo disse aos pilotos que a homenagem era para um amigo dele.

No entanto, não informou a hora e nem o nome do homenageado. A empresa informou que só ficou sabendo que as flores foram lançadas sobre o enterro do traficante depois.

O voo custou R$ 3 mil e foi pago, em dinheiro vivo, com notas de R$10 e R$ 20.

Natã foi chefe do tráfico de drogas na Vila Aliança, na Zona Oeste do Rio, e era foragido da Justiça. A ocorrência foi registrada na delegacia da Barra da Tijuca.