Scarlett Johansson é criticada por aceitar papel de homem trans

Scarlett Johansson é criticada por aceitar papel de homem trans

LOS ANGELES — A atriz Scarlett Johansson se tornou alvo de críticas nas redes sociais por ter aceitado o papel principal da cinebiografia “Rub & Tug”, que será produzido ano que vem. O filme irá

Leia tudo

LOS ANGELES — A atriz Scarlett Johansson se tornou alvo de críticas nas redes sociais por ter aceitado o papel principal da cinebiografia “Rub & Tug”, que será produzido ano que vem. O filme irá contar a história de Dante “Tex” Gill, que comandou a indústria de casas de massagem e prostíbulos em Pittsburgh, na Pensilvânia, durante os anos 1970. Nascido Lois Jean Gill, Dante era um homem transgênero, que se identificava como “Mr. Gill”.

“Existem literalmente tantos atores trans que poderiam fazer esse papel”, escreveu um internauta. “Por que você fará o papel de um homem trans se você não é um homem trans? Por favor, pare”, apontou outro.

Ao aceitar o papel de um homem trans, Scarlett Johansson se envolve na segunda polêmica do tipo. No ano passado ela viveu a personagem “Major”, uma ciborgue especializada no combate ao ciberterrorismo em “A vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell”, uma adaptação do mangá “Ghost in the shell”. No original, “Major” era asiática. O filme foi dirigido por Rupert Sanders, que também está à frente de “Rub & Tug”.

“Scarlett Johansson vai fazer um homem trans em seu próximo filme porque o objetivo final de sua carreira é ocupar o papel de um membro de cada um dos grupos marginalizados”, escreveu outro internauta. “O que vem por aí? Scarlett Johansson vai fazer o papel de Barack Obama?”, brincou outro

De acordo com obituário publicado no jornal local “Pittsburgh Post-Gazette“, Dante comandou várias casas de massagem, usadas para disfarçar a prostituição. A disputa pelos pontos no submundo da exploração sexual envolvia assassinatos, cartas-bomba, incêndios criminosos e detectores de mentiras para saber se as garotas de programa estavam sendo leais.

Fotos de época mostram Dante como um homem baixo e acima do peso, sempre vestindo ternos. Ele foi casado por muito tempo com a texana Cynthia Bruno. Segundo o obituário, é provável que ele tenha passado pelos primeiros estágios do processo de transição de gênero.