Segundo Sol: Ícaro diz que tudo de ruim que aconteceu com ele é culpa de Luzia...

Segundo Sol: Ícaro diz que tudo de ruim que aconteceu com ele é culpa de Luzia...

Em Segundo Sol, na Globo, Ícaro (Chay Suede) está cheio de mágoa. Ele não perdoa o fato de ter sido abandonado por Luzia (Giovanna Antonelli) na infância. Agora, o garoto de programa se sente perdido

Leia tudo

Em Segundo Sol, na Globo, Ícaro (Chay Suede) está cheio de mágoa. Ele não perdoa o fato de ter sido abandonado por Luzia (Giovanna Antonelli) na infância. Agora, o garoto de programa se sente perdido na vida e culpa a mãe dele por tudo de ruim que aconteceu. Com isso, o rapaz não quer nem saber de se reaproximar dela. Confira.

“Tô chocado! Luzia Batista, que passou quase vinte anos sumida pra fugir da polícia, que abandonou filhos, irmã, tudo, perdeu o medo! Ou tá se achando esperta demais…”, dirá Ícaro. “Tenho medo sim, só quem passou o que eu passei injustamente, quem sofreu dentro de uma cadeia, pode entender que é um medo que não passa nunca. Mas não vou embora daqui, Ícaro, porque tô tentando consertar o mal que fiz a vocês”.

Veja também: Cacau e Zefa se irritam e deixam jantar de Roberval, em Segundo Sol, na Globo

“Vai começar… Você vai ser presa de novo, agora por identidade falsa também… não vou cair nessa conversa de mãe arrependida! Se veio por nossa causa, por que se escondeu atrás desse personagem, por que não procurou seus filhos de cara limpa?”, perguntará. “E vocês iam me aceitar? Não! Eu sei que não! Eu queria me aproximar de você e de Manu, ganhar a confiança de vocês que eu tinha perdido!”, argumentará.

“Mentindo e enganando todo mundo como sempre! Alguém ganha confiança de alguém assim?”, questionará. Tente me entender, meu filho, tente! Se coloque em meu lugar!”. “Se coloque você no meu! A Manu não merece descobrir que a amiga dela, que ela curte pra caramba, que ela adora, na verdade é a mãe assassina que tá enganando ela!”.

Luzia tenta dialogar
“A Manu pode entender, ela me conhece, convive comigo, sabe quem eu sou”, rebaterá. “‘Sabe quem eu sou’”! Vai embora! Some! Aí eu não vou contar pra ela, é melhor ela nunca saber pra não sofrer mais essa decepção!”, insistirá Ícaro. “Ícaro, me escute, pelo amor de Deus… eu tô ajudando Manu, salvei ela de ser atropelada, de ser presa até… segurei muita onda de sua irmã… pergunte pra ela!”.

“Do mesmo jeito que tentou me enredar com aquele papinho de cliente legal! Sabe por que você tá tendo que segurar tanta onda de Manu? Porque ela se viciou por sua causa, pra fugir da realidade! Tudo de ruim que aconteceu com a gente foi por sua culpa!”, afirmará. “Eu admito minha culpa! Me perdoe! Me dê pelo menos a chance de me conhecer, ouvir tudo que aconteceu quando você era criança, pra depois me julgar!”.

Ícaro se mantém irredutível
“Você já foi julgada e condenada pela justiça… eu cresci ouvindo de todo mundo que era filho de uma assassina, que matou meu pai, já imaginou isso?”, questionará. “Eu não matei de propósito, foi um acidente!”, explicará. “Ah, foi pra defender seu amante! Que lindo!”. “Não faça assim, eu sei que você não é assim… não é esse cara duro, agressivo… eu conheço você, meu filho, melhor que ninguém…”.

“Você não me conhece mais… você conheceu um pirralho que acreditava em ser feliz, que se amarrava em viver numa praia isolada, que tinha uma mãe e uma irmã que eram tudo pra ele… até que tiraram tudo dele, tudo, e eu não perdoo isso”. “Ícaro… no dia que você nasceu, eu descobri o que era amor incondicional, não existe amor maior que o que eu sinto por você e Manu, daria minha vida por vocês… tente me aceitar, me perdoar, deixe eu ficar aqui junto de vocês”.

“Não! Você vai embora! Ou conto seu paradeiro pra polícia, e digo toda a verdade pra Manu. Olha aqui, a Laureta já me alertou sobre você, eu confio nela, desiste que você não vai me convencer do contrário”. “Laureta sim é uma assassina fria… você vai contar pra ela que eu sou Ariella?”, perguntará. “Tô lhe dando uma chance de se mandar antes disso”.

“Ela vai dar um jeito de acabar com minha vida de novo, Ícaro, pra livrar a própria cara… ela é capaz de me matar… deixa essa mulher fora disso, eu lhe imploro”. “Você não vai mesmo embora?”. “Não, eu não posso, e não quero”. “Ok, mais uma vez você tá fazendo a escolha errada”. “Ícaro!”, concluirá.