Volta de Marcelo é dilema de Tite contra Bélgica nas quartas da Copa

Volta de Marcelo é dilema de Tite contra Bélgica nas quartas da Copa

O lateral-esquerdo Marcelo participou normalmente do último treino da seleção, em Sochi, nesta quarta-feira (4), antes da viagem da delegação para Kazan, onde o Brasil enfrentará a Bélgica, na sexta,

Leia tudo

O lateral-esquerdo Marcelo participou normalmente do último treino da seleção, em Sochi, nesta quarta-feira (4), antes da viagem da delegação para Kazan, onde o Brasil enfrentará a Bélgica, na sexta, às 15 horas (horádio de Brasília), pelas quartas de final da Copa do Mundo. O jogador está à disposição do técnico Tite, mas ainda não foi definido como titular.

Felipe Luis também poderá iniciar a partida, caso o titular ainda não esteja completamente recuperado.

Veja as seleções classificadas para as quartas de final da Copa

Capitão da equipe na partida contra a Sérvia, na última rodada da fase de grupos, Marcelo deixou o gramado aos 10 minutos do primeiro tempo, após sofrer um espasmo na musculatura que envolve a coluna durante uma arrancada. O titular foi substituído por Felipe Luis naquela partida.

Marcelo também não atuou na vitória por 2 a 0 contra o México, pelas oitavas de final do Mundial. Segundo o treinador Tite, o lateral ainda não tinha condições para jogar os 90 minutos e, por isso, a comissão técnica decidiu preservá-lo.

Veja a tabela completa da Copa do Mundo 2018

O jornalista Robson Morelli, editor de esportes do "Estadão", entende que Marcelo é a melhor opção para o embate com os belgas pela experiência e qualidade no ataque. No entanto, o atleta precisa estar em plenas condições físicas para render o máximo de seu potencial.

"Marcelo é o melhor da posição há anos. Sabe o que é decidir títulos pela experiência no Real Madrid. Marca menos do que Felipe Luís, mas cria mais no ataque. Combina muito bem com Neymar na esquerda. Vinha sendo o melhor passador do Brasil. É mais inventivo com a bola. Mas só deve jogar se estiver 100%", ponderou o jornalista.

"Felipe Luís avança menos. Marca bem e sabe que sua função é essa. O time ganha no setor defensivo e perde no ataque. Com ele. Tite pode liberar mais Paulinho e até Coutinho", complementou Robson Morelli.

O blogueiro do R7 Silvio Lancellotti também aposta na presença de Marcelo para enfrentar o habilidoso selecionado belga — equipe com o ataque mais positivo da Copa (12 gols). Para o jornalista, a presença do lateral do Real Madrid proporcionará mais preocupações aos adversários.

"Marcelo é mais impetuoso, vibrante, agressivo, finaliza bem e assusta os adversários — embora, muitas vezes, também preocupe os companheiros e os torcedores. Felipe é mais frio, contido e, por isso, não compromete a paciência dos colegas e dos fãs. O problema é que não exige tanta atenção dos seus rivais", analisou Lancellotti.